Homenagem do Bernardes ao Beto Almeida

Recebi este email do Bernardes agora há pouco, direto da Europa. Confesso que fiquei emocionada e com a permissão dele publico no blog, como uma forma de homenagear o Beto que faleceu neste sábado vítima de um câncer, contra o qual lutava há anos. Publicamos na Tennis View  matéria sobre a arbitragem no Brasil e este link (está na página dois) complementa o post e conta um pouco mais da vida dos árbitros e como todos, inclusive o Beto, chegaram lá.

 

ROBERTO ALMEIDA – ADEUS A UM AMIGO!

 

“Bem, estou no aeroporto de Nice quase pronto para embarcar para Barcelona. Depois de uma semana em Monte Carlo, eu poderia dizer que estou muito feliz pela semana de trabalho ou mesmo pelo lugar que é muito especial mas, nao posso.

No sábado pela manha estava assistindo a uma das semifinais quando recebi uma mensagem da juíza Portuguesa Mariana Alves. A princípio nao acreditei pois ela me informara que Roberto Almeida havia falecido em São Paulo, a caminho do torneio do qual seria Referee.

Fiquei incrédulo, perdido, não sabia o que fazer e resolvi ligar para o Brasil para saber se aquela notícia tinha fundamento ou não.

Tentei em casa e minha mãe nao estava, liguei então para o Paulo Pereira e ele me confirmou a notícia.

Foi como se passasse ao mesmo tempo toda a história da minha própria vida não só no tênis mas também dos momentos em que eu, Roberto, Adão Chagas, Ricardo Reis, o Paulo e tantos outros vivemos juntos nestes últimos quase 20 anos.

Nós iniciamos quase todos ao mesmo tempo, com a ajuda e incentivo do Paulo.

Viajamos pela primeira vez aos Estados Unidos juntos e foi lá que provavelmente fizemos a vigem de nossas vidas pois logo depois de trabalhar no antigo LIPTON, hoje o Masters de Miami, alugamos um carro e fomos à Disney onde nos divertimos muito mais do que as milhares de criancas que estavam por la. Para falar a verdade até disputávamos um melhor lugar para tirar fotos com Pateta, Mickey e outros personagens. Fizemos tantas compras que nem sabíamos se iriam caber no carro que alugamos.

E assim se foram muitas outras viagens juntos sempre uns cuidando dos outros. Nós estavamos quase todo tempo juntos nestes torneios fora do Brasil e sempre nos divertíamos muito mas também trabalhando bastante e com muita competência.

Roberto foi um dos poucos Silver (prata) Badges da América Latina, era também Referee nos ultimos anos aqui pelo Brasil.

Era considerado um excelente juiz de linha quando iniciamos e não era muito dificil vê-lo em várias finais tanto no Brasil como no exterior. Como juiz de Cadeira tambem trabalhou em muitos eventos da ATP, WTA e ITF.

Mas eu gusto de me lembrar dos nossos momentos, nosso time de Brazukas que se aventurou por estas quadras mundo afora tentando realizar o sonho de estar nos melhores torneios do mundo.

Foram momentos inesquecíveis e que nunca mais vão sair de minha memória e tenho certeza que das outras pessoas que conviveram com ele tambem.

Nós que convivemos tambem o drama da doenca, sabemos o quanto ele lutou e a enfrentou com muita dignidade e até mesmo com uma forma divertida com comentários que nos faziam rir de uma coisa que era muito dificil mas ele tinha uma forma de “rir da enfermidade”.

Nos ensinou a ser positivo, acreditar e lutar mesmo quando as coisas não parecem tao boas. Acreditar, sim ele nos ensinou muito nestes últimos anos. Isto, vai ficar marcado na memória de todos.

O mundo do tenis esta muito mais triste hoje, mas eu tenho certeza que o céu, esta muito mais alegre com a presenca desta pessoa que nos marcou, de alguma forma ou de outra.

Beto, descance em paz.

 

Um grande mas grande abraço deste que vai sentir muito a sua falta.

 

Para vocês…Monica, Camila e Bianca.

 

Muita força.

 

Carlos Bernardes

Essa foto é de um dos meus últimos eventos em que trabalhei com o Beto, no Rio Quente Resorts. 

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *