Problema no coração de Mardy Fish pode ter causas psicológicas

Quando soube da causa da ausência de Mardy Fish das quadras, em Roland Garros, não consegui dar muita atenção ao caso. Estava no meio do torneio e tinha muita coisa acontecendo. Mas, agora com mais calma, durante Wimbledon comecei a ler e a pesquisar tudo o que havia saído sobre a arritmia cardíaca (taquicardia supraventular) e a questão parece ser também muito psicológica, pela pressão de vencer.

Foi o que ele revelou numa conversa com o repórter Christopher Clarey, publicada ontem no New York Times. Fish está jogando em Wimbledon e está na segunda rodada.

O drama de Fish começou durante o Masters 1000 de Miami, depois de ter perdido para Juan Mônaco, nas quartas-de-final. Ele acordou no meio da noite com o coração batendo tão rápido e não conseguia fazer o ritmo diminuir. “Pensei que fosse morrer naquela noite,” lembra ele que conseguiu chamar o fisioterapeuta e ser levado para o hospital.

Mas, esta não era a primeira vez que isso acontecia. Na noite anterior ao jogo da Copa Davis, contra a Suíça, ele teve uma sensação parecida. Mas, o coração voltou ao normal e ele ganhou de Wawrinka, reporta Clarey.

Quando o jornalista lembra que Fish tinha muitos pontos a defender da temporada passada, o americano concorda. “Ninguém está imune à pressão da expectativa. Nenhum ser-humano. Você vê o que escrevem de você, os comentaristas te colocam pra baixo e você não se sente à vontade porque está numa posição em que nunca esteve antes.”

Depois de fazer vários exames e testes e descobrir que não corria perigo de vida, e que os sintomas também não eram de síndrome do pânico, Fish se sentiu aliviado e resolveu jogar o ATP de Houston. “Todo mundo disse que eu estaria bem,mas eu não estava acreditando, porque só eu sabia como eu estava me sentindo toda noite antes de ir dormir.”

A tentativa de encontrar de onde vinha o problema, levou os medicos a colocarem um marca-passo em tempo integral. Mas, as preocupações de Fish não diminuíram e ele optou por fazer um procedimento cirúrgico, com anestesia geral para colocar um catéter e queimar a área com anomalia através dele.

Após a cirurgia, ele ficou descansando por oito dias e para evitar que o coração bata forte novamente cortou o álcool e a cafeína.

Ao New York Times ele confessa que chegou a pensar em parar de jogar e que o seu futuro no tênis ainda é incerto.

“O stress de estar sempre indo ao limite, de viajar tanto e para tão longe toda hora, ainda com o stress de querer muito vencer cada ponto e cada jogo, acaba com você. Não queria mais me sentir assim.”

 Foto de Cynthia Lum

 

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *