Tag Archives: nadal monaco

Gira Sul-Americana termina em alta com vitória de Nadal

A gira de torneios da ATP pela América do Sul terminou neste domingo com o maior dos campeões do saibro da atualidade, conquistando o título em Buenos Aires. Rafael Nadal venceu Juan Monaco na final do Argentina Open para erguer o 65 trofeu da carreira.

Com a vitória de Nadal no Buenos Aires Lawn Tennis Club, a Gira termina em alta.

Nadal em Buenos Aires

Mesmo sem grandes estrelas no circuito, além de Nadal, que optem por deixar os petrodólares de Dubai de lado ou as quadras rápidas da Europa, Estados Unidos e até mesmo de Acapulco, que já chegou a integrar a Gira, o tour da América do Sul cumpriu o seu papel.

Os fãs, com poucas exceções (São Paulo foi aparentemente dos menos cheios), encheram as arquibancadas de Quito a Buenos Aires. Tênis foi televisionado por horas e horas diariamente nos respectivos países, sem falar da exposição da região para o resto do mundo. E os tenistas latinos aproveitaram a chance única no ano de jogar por aqui e no saibro, para subirem no ranking. Espanhóis e latino-americanos brilharam nas quadras de Quito, São Paulo, Rio de Janeiro e Buenos Aires.

A gira começou em Quito, marcando o primeiro título de Victor Estrella Burgos, da República Dominicana, no circuito. Ganhou de Feliciano Lopez na final. Ele e Fernando Verdasco eram as grandes atrações no Equador.

A chave ainda contou com o bom resultado de Thomaz Bellucci, que foi à semifinal e de João Souza, o Feijão disputando a sua primeira final nas duplas. Jogou com Burgos e perdeu para Kretschmer e Satschko 7/5 7/6(3).

O Brasil Open viu Feijão alcançar o melhor resultado da carreira e chegar à semifinal. O colombiano Santiago Giraldo também foi à semi no Ibirapuera. O uruguaio Pablo Cuevas foi o grande campeão, derrotando a surpresa italiana, Luca Vanni na final.

Ainda teve Marcelo Melo na semi de duplas e os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah ganhando nas duplas.

O Rio Open consagrou o espanhol David Ferrer, conquistando o 23o. título da carreira., diante de Fabio Fognini. Nadal, a grande atração, foi até a semifinal. Feijão continuou brilhando e foi quadrifinalista na cidade que escolheu para viver.

O austríaco Hauder Maurer, que eliminou Feijão, foi o único não latino nas quartas no Rio.

Bruno Soares foi o melhor duplista do Brasil, chegando à semi.

E ainda teve as mulheres no Rio Open. Gabriela Cé venceu o seu primeiro jogo na chave de um WTA e Bia Maia foi às quartas-de-final, tendo 3 match points contra a eventual campeã, Sara Errani.

 

Em Buenos Aires, a final dos sonhos para qualquer diretor de torneio. A grande estrela, Nadal, e o jogador local, Juan Monaco. Vitória de Nadal. 11argentinos na chave principal e 2 na semi. O torneio que ficou na ingrata data que era de São Paulo, conseguiu se recuperar.

 

Quadro de campeões

Gira Sul-Americana

 

ATP Quito

Victor Estrella Burgos(DOM) d. Feliciano Lopez (ESP) 6/2 6/7(5) 7/6(5)

Kretschmer /Satschko d. Souza/Estrella Burgos 7/6 7/6(3)

 

Brasil Open

Pablo Cuevas (URU) d. Lucas Vanni (ITA) 6/4 3/6 7/6(4)

Cabal/Farah d. Lorenzi/Schwartzmann 6/4 6/2

 

Rio Open

David Ferrer (ESP) d. Fabio Fognini (ITA) 6/2 6/3

Klizan/Oswald d. Andujar/Marach 7/6(3) 6/4

 

Sara Errani (ITA) d. Anna Schmiedlova (SVK) 7/6(2) 6/1

Bonaventura/Peterson d. Begu/Irigoyen 3/0 des.

 

Argentina Open

Rafael Nadal (ESP) d. Juan Monaco (ARG) 6/4 6/1

Sá/Nieminen d. Andujar/Marach 4/6 6/4 10-7

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

Vai começar!

E assim, de repente, sem a gente nem perceber começa de fato a temporada européia de saibro. O sol começa timidamente a mostrar os seus primeiros raios no velho continente, as flores desabrocham e como se nada houvesse acontecido no último ano, Rafael Nadal chega ao Principado de Mônaco em busca do 9º título seguido do Masters 1000 de Monte Carlo.

Monte Carlo Country Club

Se olharmos para a chave e as mais recentes matérias de tênis mundo afora, talvez nem lembremos mais que Nadal ficou ausente das quadras durante quase oito meses, que ele não jogou o US Open, as Olimpíadas e o Australian Open; que Mats Wilander disse, no início do ano, que ele seria um outsider”em Roland Garros.  Quem imaginaria que ele voltaria ganhando quatro dos três torneios que disputou?

Dá para não colocá-lo na lista de favoritos em Monte Carlo e em toda a temporada de saibro? Escrever que ele vai em busca do 9º título seguido em Mônaco parece até um erro de informação. Mas não é. Entre os jogadores em atividade, Nadal é o único campeão em Mônaco. Antes dele, Coria, Ferrero, Guga e Pioline erguiam taças na mais charmosa quadra de tênis do mundo. Nadal Monte Carlo

De Monte Carlo até Roland Garros, que começa no dia 26 de maio, Djokovic, Murray e Federer vão tentar provar que podem ameçar o touro espanhol nas quadras de terra batida. Federer só volta a jogar em Madri, daqui a três semanas, no saibro laranja mesmo. Nada de saibro azul neste ano.

Djokovic jogará no saibro em busca do Career Slam, em Roland Garros. Murray tentará o seu segundo trofeu de Grand Slam e melhorar o desempenho no seu piso menos especial.

Não dá para desconsiderar Ferrer da lista de nomes para ficarmos atentos nestas 7 semanas de disputas no saibro, apesar de não estar em Monte Carlo.

Os franceses jogarão por onde conseguirem para chegarem a Paris preparados para jogar em Roland Garros, com o peso dos 30 anos da conquista de Yannick Noah, o último francês a erguer o Trophée des Mousquetaires, em 1983.

Será que daqui a 9 semanas, quando Roland Garros terminar tudo será diferente ou veremos Nadal “mordendo”a taça pela oitava vez?

 

 

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

A volta de Nadal. É hoje.

Wimbledon passou, vieram os Jogos Olímpicos, o US Open, o ATP Finals, a final da Copa Davis e o Australian Open. Todos esses grandes eventos – em Wimbledon, no meio da primeira semana ele já estava eliminado – sem a presença de Rafael Nadal, com uma lesão no joelho esquerdo. E hoje, depois de mais de meio ano, ou melhor, oito meses, o Rei do Saibro, o 11 vezes campeão de Grand Slam, o recordista de títulos de Roland Garros, com sete trofeus, o tenista que desafiou Roger Federer, mudou a história do esporte, volta a competir.

Nadal Monaco

A estreia nas duplas foi na noite de terça-feira, ao lado de Juan Monaco. E Nadal e o amigo argentino estrearam com vitória. Derrotaram os cabeças-de-chave 2, Frantisek Cermak e Lukas Dlouhy, por 6/3 6/2. Mas, como Nadal mesmo disse, duplas é mais tranquilo e o verdadeiro teste será no jogo de simples.

O adversário de estreia, (19h Brasília com transmissão do BandSports) o argentino Federico Delbonis – 128º na ATP –  é tão desconhecido do grande público quanto o checo Lukas Rosol (era o 100º), responsável pela eliminação de Nadal, em Wimbledon.

O torneio onde Nadal está jogando, o VTR Open, em Viña del Mar, também está longe de ser um Grand Slam, Jogos Olímpicos e um Masters 1000. Mas, para o tenista a importância é tremenda e faz todo o sentido ele ter escolhido a pacata cidade para voltar a competir (escrevi sobre isso há poucos dias aqui). O evento, no entanto, se tornou grandioso com a presença do 6º número um da história a aparecer por lá. Nadal Viña del Mar

Mais de 300 jornalistas se credenciaram para cobrir a estreia de Nadal, no Club Naval Las Salinas, de Vinã del Mar. Direitos de televisão internacional foram vendidos para diversos países que antes não colocavam o ATP chileno na grade de programação. Novos patrocinadores surgiram, os ingressos aumentaram – segundo o jornal L’Equipe, de entre R$ 40 e R$ 110,00 para R$ 120,00 a R$ 230,00. As arquibancadas também ganharam mais espaço e agora tem capacidade de 5.000 lugares (antes era de menos do que 4.000).

Recebido pelo Presidente Sebastian Piñera e hospedado numa cidade de 290.000 habitantes e jogando um ATP 250. Assim acontece a volta de Rafael Nadal ao circuito mundial.

Não sei se de fato, Federer, Murray e Djokovic sentiram a falta do adversário, mas o público certamente sentiu.

Vamos, Rafa.

Foto de Jim Rydell/VTR Open by Canchantun

Leave a Comment

Filed under Uncategorized