Tag Archives: nadal monte carlo

Vai começar a temporada de saibro européia, a mais bela do tênis mundial

A temporada de saibro começou timidamente com as disputas dos ATPs de Casablanca e Houston, depois de disputas agitadas da Copa Davis. Mas, “the clay court season,” começa mesmo pra valer agora, com a disputa do Masters 1000 de Monte Carlo.

Monte Carlo Country Club Em um dos cenários mais belos do tênis mundial, tem início a também mais glamurosa e linda temporada anual do tênis. De agora até o início de junho, os tenistas percorrerão boa parte da Europa, passando, depois do Principado de Mônaco, por Barcelona, Bucareste, Roma, Estoril, Madri, Nice, Munique, Dusseldorf até chegar na mágica Paris.

Nadal rei do saibroAté lá tanta coisa pode acontecer no nosso esporte, ou não. Será que Rafael Nadal conseguirá manter o nível altíssimo do ano passado, quando ganhou praticamente tudo (perdeu a final de Monte Carlo para Djokovic). Será que ele ganhará mais um Roland Garros?

 

 

É justamente o título em Paris que Djokovic persegue, o único do Grand Slam que falta na sua estante.Como se desenrolará o relacionamento com o técnico Boris Becker?

Djokovic Monte CarloRoger Federer, ausente de Monte Carlo nos últimos dois anos, volta a jogar na Cote DAzur, mostrando que as lesões ficaram realmente no ano passado.

Andy Murray, sem técnico desde o Sony Open, em Miami, não jogará o primeiro Masters 1000 do saibro. Está em busca de novo treinador e quer descansar depois dos Masters 1000 americano e da disputa da Copa Davis.

Como será a performance no saibro, do atual campeão do Australian Open, Stanislas Wawrinka, que em 2013 iniciou a escalada no ranking com o título do ATP de Oeiras (ex-Estoril Open)?

E Fabio Fognini, repetirá o bom desempenho em Monaco e nos outros Masters 1000 da terra batida, especialmente no da sua casa, em Roma, para continuar subindo no ranking e ganhando respeito dos jogadores e fãs, principalmente.

E os franceses? Daqui a algumas semanas começará a conversa de mais de 30 anos sem francês campeão em Roland Garros. Algum deles conseguirá fazer uma temporada de saibro que dê confiança para chegar a Paris como um dos favoritos? Monfils? Gasquet? Tsonga?

Será interessante observar a performance de David Ferrer nos próximos torneios. Vice-campeão de Roland Garros no ano passado, o número dois espanhol pode sempre surpreender, mas ainda falta um resultado mais convincente em 2014. Outro espanhol que sempre se dá bem no saibro é Nicolas Almagro. Apesar de não ter tido bons resulatdos na gira da América do Sul, ainda está em tempo de se recuperar.

Grigor Dimitrov, um pouco mais maduro ao lado de Roger Rasheed, também será uma das atrações da temporada, ao lado de Tomas Berdych. Apesar de preferirem a quadra rápida, ambos  costumam ser versatéis.

Enfim, a temporada está apenas começando, muitas horas de tênis estão por vir e daqui a 2 meses tudo pode ser diferente, ou Rafael Nadal pode continuar quebrando recordes e fazendo mais história no mundo do esporte.

 

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

E este foi só o primeiro capítulo da temporada de saibro

O primeiro capítulo da temporada européia de saibro 2013 terminou com vitória e Novak Djokovic. Como até conto de fadas tem fim, um dia, foi o sérvio que recebeu das mãos do Príncipe Albert, de Mônaco, o trofeu de campeão do Monte Carlo Rolex Masters, erguido oito vezes seguidas pelo vice deste ano, Rafael Nadal. Djokovic Monte Carlo

Número um do mundo, Djokovic festejou a vitória por 6/2 7/6(1) sobre Nadal, como um de seus maiores feitos. Monte Carlo era um de apenas 2 Masters 1000 que faltavam em seu currículo para preencher a sua prateleira com todos os títulos da categoria. O outro é o de Cincinnati.  Nas duas outras finais que disputou em Monte Carlo, no ano passado e em 2009 perdera para Nadal.

Todos sabemos que Nadal é um atleta bem fora do normal até mesmo para os grandes campeões. Eu ficava olhando aquele número de vitórias em Monte Carlo – 46 jogos sem perder, oito trofeus seguidos – e pensando na perfeição e superioridade do espanhol. Vencer um mesmo torneio 8 vezes significa que durante estes oito anos você não acordou num mal dia, não duvidou de si mesmo, não se machucou, não ficou doente, não se contentou com os títulos já conseguidos, não relaxou, não perdeu o foco, não se deu por vencido.

Neste domingo perdeu para um melhor jogador, o mesmo que o derrotara nas finais de Roma e Madri, em 2011 e a quem não enfrentava desde a final de Roland Garros, no ano passado, quando ergueu o Trophée des Mousquetaires, pela sétima vez. O Trophée que falta para Djokovic completar o Grand Slam.

Maior recordista de Roland Garros, com seis títulos, até Nadal ultrapassá-lo no ano passado, Bjorn Borg afirmou ao jornal LÉquipe, que quem vencesse Monte Carlo ganharia Roland Garros.

E já neste primeiro capítulo da temporada de saibro começaram as especulações sobre quem será cabeça-de-chave em Roland Garros. Guy Forget, diretor do torneio francês, já disse que a Federação Francesa pode vir a fazer uma revisão no sistema de escolhas de cabeças-de-chave, normalmente baseado no ranking.

Se a temporada já começou eletrizante, mesmo sem Murray alcançando as fases finais e sem Federer no torneio, imagina nas próximas semanas, com o ATP de Barcelona e o Masters 1000 de Madri e Roma?

 

 

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

Nadal vence o primeiro round em Monte Carlo

Começou a batalha da temporada de saibro européia e Rafael Nadal saiu vitorioso no primeiro round, ganhando de Novak

Djokovic na final do Masters 1000 de Monte Carlo por 6/3 6/1.

Foi a primeira de uma série de quatro batalhas esperadas, culminando com Roland Garros e que tem uma série de recordes especiais em jogo.

Mas, até que tudo isso se concretize são apenas suposições e desejos de ver a história sendo feita novamente diante de nossos olhos.

Como garantir que o espanhol e o sérvio farão as finais dos próximos Masters 1000 do saibro, em Madri e Roma e também a de Roland Garros? E que se não se enfrentarem em Roland Garros na decisão, um dos dois levará o trofeu e teremos ou um Nadal superando o recorde de Bjorn Borg, com sete trofeus em Paris, ou Djokovic igualando Rod Laver – conquistando o Grand Slam e quatro seguidos – no saibro francês?

A julgar pela primeira batalha entre os dois em Monte Carlo, continuaremos a assistir o embate entre os dois gladiadores do circuito nas próxima semanas.

É claro que vamos ouvir que Djokovic não estava nas condições ideais de jogo, afinal lutou emocionalmente toda a semana no Principado, após a morte do avô, na quarta-feira, para conseguir continuar jogando, e vencendo. Contra Nadal admitiu não ter forças suficiente. “Não quero tirar o mérito do Nadal. Ele aproveitou a situação e foi o melhor hoje. Mas eu não tinha mais energia. Gastei tudo o que tinha durante a semana e para jogar e ganhar dele numa final, você tem que usar todas as suas forças. Estava numa situação mental nova para mim,” disse o número um do mundo.

O próprio espanhol admitiu saber que o adversário não estava 100%, mas falou também que no ano passado, nas sete derrotas para Djokovic, nem sempre estava no seu melhor em quadra.

Independente de acontecimentos extra-quadra que tenham afetado um pouco o brilho da final, toda a antecipação que rodeou o jogo e a tensão sentida no estádio no início da partida, deu para ver o que as próximas semanas de tênis no saibro trarão.

Mesmo com Djokovic mais desgastado mentalmente, a vitória foi de Nadal e ninguém vai se lembrar daqui a alguns anos que ele ganhou do sérvio numa semana em que o avô faleceu. Alguém se lembra quando menciona que Guga tem dois títulos de Monte Carlo que Marcelo Rios abandonou o jogo quando o brasileiro vencia por 6/4 2/1?

Temos que aplaudir Rafael Nadal. São oito títulos seguidos em Monte Carlo e com certeza nos 42 jogos que ganhou na sequência no Principado, não estava 100% em todos eles, mas encontrou uma maneira de ganhar.

Como explicar todo esse sucesso em Mônaco? “Desde criança era um sonho jogar esse torneio e para mim é o Masters 1000 mais bonito do mundo. Sempre me senti muito bem aqui.”

E neste domingo deve estar se sentindo muito melhor, depois de ter quebrado a série de sete derrotas seguidas para Djokovic e erguido o 20º trofeu de Masters Series e o 47º da carreira.

Ah, e o Federer onde fica nisso tudo? Ele não jogou Monte Carlo, só volta em Madri. Claro que é um dos tenistas que pode atrapalhar essa batalha Djokovic x Nadal, mas veremos como volta às quadras depois de algumas semanas de descanso.

 

Os títulos de Nadal em Monte Carlo

2011 – d. No. 6 David Ferrer 64 75
2010 – d. No. 12 Fernando Verdasco 60 61
2009 – d. No. 3 Novak Djokovic 63 26 61

2008 – d. No. 1 Roger Federer 75 75

2007 – d. No. 1 Roger Federer 64 64

2006 – d. No. 1 Roger Federer 62 67 63 76

2005 – d. No. 9 Guillermo Coria 63 61 06 75

 

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

Djokovic e Nadal começam temporada de saibro em busca de novos recordes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Novak Djokovic e Rafael Nadal começam a escrever um novo capítulo da história do esporte nesta quarta-feira, ao estrearem em Monte Carlo, o primeiro torneio da temporada de saibro que disputam.

Até chegar ao ápice, em Paris, eles terão passado por Mônaco, Barcelona, Madri e Roma.

Dentro de um mês e meio quando Roland Garros terminar, será que Rafael Nadal terá superado o recorde de Bjorn Borg de sete títulos em Paris ou Djokovic terá igualado o feito de Rod Laver, que em 1969 ganhou os quatro Grand Slam seguidos e completará o “Novak Slam?”

2 Comments

Filed under Uncategorized