Tag Archives: tenis campos do jordao

Pare a guerra, jogue tênis

A história não é nova. Há 10 anos quando Aisam ul-Haq Qureshi, um paquistanês se uniu a um israelense – Amir Hadad – para jogar duplas, ele ganhou atenção mundial, como exemplo de paz através do esporte. Há dois anos ganhou mais reconhecimento ainda quando ao lado do indiano Rohan Bopanna, chegou à final do US Open. Agora, Aisam ul-Haq Qureshi, jogando o ATP Finals, em Londres, lança o livro “Stop War, Start Tennis – Pare a Guerra, Comece o Tênis.”

Originalmente lançado com o título “Lições aprendidas do circuito mundial de tênis,” Qureshi reeditou o livro, adaptou-o para versão kindle e colocou o mesmo título que a sua fundação tem.

 

Claro que ouvi falar pela primeira vez de Qureshi quando ele começou a jogar com o israelense. Ganhou prêmios pela iniciativa, mas ainda demoraria até ele se estabelecer como jogador top de duplas.

Nestes anos em que ficou tentando chegar ao grande circuito, Qureshi veio algumas vezes ao Brasil e jogou em Campos do Jordão, na MasterCard Tennis Cup, onde eu trabalhava. Vi Qureshi jogar e torcer com a minha amiga Lia para não ter que pronunciar o seu complicado sobrenome na cerimônia de premiação (ele foi à semifinal de duplas em 2009).

 

Ao se associar com o indiano Rohan Bopanna, subir no ranking – chegou ao 8º lugar no ano passado – ganhou notoriedade dentro e fora das quadras e ambos foram apelidados de Indo-Pak Express.

Durante a final do US Open de 2010, os embaixadores do Paquistão e da Índia, inimigos “mortais” há anos, se sentaram lado a lado para torcer pelo mesmo “time.”

Logo após perderem a final para a parceria de Bob e Mike Bryan, Qureshi pegou o microfone e instintivamente discursou pela paz. “Sabia que o Paquistão inteiro estaria assistindo,” relata ele no livro. “Cada vez que venho para os Estados Unidos, gostaria que soubesse que nós não somos um país terrorista. Somos amáveis e tudo o que queremos é a paz.”

 

Impulsionado pela reação mundial, Qureshi fundou a “Stop War, Start Tennis,” ajudando vítimas da Guerra que tenham sofrido com guerras e minas em zonas de conflito de guerra atuais ou antigos.

 

Além disso, ele ajuda também o seu próprio país e só teve a dimensão do que acontece quando ocorre uma tragédia, ao voltar para casa depois daquela final do US Open 2010 e como embaixador da ONU sobrevoar áreas afetadas por uma enchente que deixou 20 milhões de desabrigados no Paquistão. “Aí eu tive a plena certeza de que cada doação, cada ajuda faz sim a diferença. É muito diferente, chocante quando você vê de perto uma tragédia.”

 

Aos 32 anos e jogando duplas, Qureshi é ídolo no Paquistão e tem feito um belíssimo trabalho fora das quadras.

 

Vou descobrir mais agora. Já baixei o livro no meu kindle.

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

Coleta Seletiva e reciclagem na MasterCard Tennis Cup, em Campos do Jordão

Depois de viajar para vários torneios mundo afora e ver como cada um deles lidava com a questão da sustentabilidade, consegui, no ano passado, implantar um pouco do que se faz lá fora, na MasterCard Tennis Cup, em Campos do Jordão.

Neste ano, trabalhando direto com reciclagem, coleta seletiva, catadores de recicláveis, era quase uma obrigação minha conseguir coletar o máximo de material reciclável possível no evento e passar para uma cooperativa local.

Diferente de 2010, hoje o que consigo ver e tento passar para o pessoal do torneio é que cada latinha que colocam no coletor, cada copo plástico, cada tubo de bola, caixa de papelão, entre outros, tem um valor imenso e que é o sustento de uma população de mais de 1 milhão de catadores no Brasil.

Esse é o texto que escrevi junto com a Fabiana Oliveira e mandamos para todo mundo hoje falando das iniciativas do torneio.

 

MASTERCARD TENNIS CUP VOLTA

A APOSTAR NA SUSTENTABILIDADE

 

Até os tubos de bola, com seu valioso plástico duro, estão sendo reciclados em Campos do Jordão

 

Depois do sucesso da iniciativa em 2010, a MasterCard Tennis Cup está promovendo em Campos do Jordão um torneio mais verde, com a proposta de que o lixo produzido no Tênis Clube, durante a competição, cause menos impacto ambiental na serra paulista e consequentemente no planeta, trabalhando também não apenas na reciclagem, mas na reutilização do óleo, das bolinhas de tênis e na conscientização ambiental . A ação segue a tendência dos maiores torneios do circuito mundial, que buscam alternativas para reduzir o acúmulo de lixo, reciclar o máximo possível e diminuir  a emissão de gases na atmosfera.

 

Para que a ação da MasterCard Tennis Cup 2011 tenha ainda mais sucesso do que na temporada passada, lixeiras para coleta seletiva estão espalhadas pelo clube e em todas as salas do evento: imprensa, jogadores, organização, boleiros, juízes e encordoamento. Foi firmada ainda parceria com a Ecoservice e a mesma recolhe diariamente todo material reciclável de todos os ambientes do evento e o óleo descartado pela Citron Gastronomia, responsável pela gastronomia do Stella Artois Hall.

 

O material recolhido pela Ecoservice é enviado ao Centro de Ecoeficiencia em Resíduos (CER), onde é triado de acordo com a classificação (plásticos, vidros, papelão, metal), são prensados, enfardados e enviados a recicladoras da região do Vale do Paraíba e São Paulo. O CER é privado e oferece emprego e renda para mais de 10 trabalhadores que antes trabalhavam em situação irregular e desumana. Parte da receita oriunda da coleta de material reciclável é enviado para o Fundo Municipal de Meio Ambiente para financiar outros projetos ambientais. Criando assim um círculo positivo em torno do resíduo.

 

Como novidade este ano, além de copos plásticos, garrafas plásticas e de vidro, papel, latinhas de refrigerante, óleo, entre outros, os tubos de bolinhas de tênis também estão sendo reciclados. Até agora já foram reciclados 528 tubos do chamado plástico duro e a expectativa é que este número triplique até o fim do torneio, já que os homens usam mais bolas do que as mulheres.

 

As bolas de tênis utilizadas pelos atletas também ganham nova vida sendo posteriormente doadas para o Projeto Social Escola de Tênis, do Tênis Clube de Campos do Jordão.

 

Além do descarte correto de papéis, metais, plásticos e vidro, a MasterCard Tennis Cup também contribui com o programa FRATO Social, separando os anéis de latinhas de refrigerante nos recipientes disponíveis pelo Tênis Clube. Os anéis são depois enviados para a empresa de ferramentas com sede em São Paulo, que em apenas três anos já os transformou em mais de 600 cadeiras de rodas, beneficiando diversas entidades assistenciais e provando que a aparente lenda é uma realidade.

 

 

Enhanced by Zemanta

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

Tenistas relembram seus melhores momentos na MasterCard Tennis Cup, em Campos do Jordão. Bellucci, Sá, Melo, Cortez, todos tem histórias para contar.

Estamos na 11ª edição da MasterCard Tennis Cup, em Campos do Jordão, o que significa que há 11 anos faço parte deste torneio feminino e masculino, que vale pontos para os rankings da WTA e ATP e distribui US$ 100 mil em prêmios.

Todos os anos, as semanas que antecedem o evento agitam o escritório da Try Sports – com montagem da estrutura no Tênis Clube – sala de imprensa, boleiros, árbitros, encordoamento, jogadores, staff, estandes de patrocinadores, Stela Artois Hall, espaço MasterCard Black – reserva de hotéis para staff, jogadores, convidados, logística de subidas e descidas da serra paulista, divulgação do evento, design e confecção da revista programa e muito mais. Todos os anos, nestas semanas que antecedem o evento me dá aquela preguiça de pensar que são duas semanas longas de evento em Campos do Jordão e no frio, o que me desanima mais.

Mas, ao chegar aqui, mesmo com o frio e as longas horas na sala de imprensa, a preguiça vai embora  – o frio não, mas a gente dá um jeito com agasalhos de neve e aquecedores na sala de imprensa, além de um bom vinho no Stella Artois Hall à noite.  É sempre um prazer encontrar velhos conhecidos, conviver com os meus amigos e colegas na sala de imprensa e pelo torneio e relembrar a história desta competição.

Para este ano, uma das pautas que programei para a revista da MasterCard Tennis Cup, foi com os tenistas falando de momentos marcantes para eles em Campos do Jordão e foram vários. Todos que jogaram aqui tem alguma lembrança bacana para retratar e eu reproduzo aqui esse material, que a Fabiana Oliveira e o Edgar Lepri apuraram com os tenistas.

 

MasterCard Tennis Cup é marco na carreira dos tenistas

 

Essa afirmação vem dos próprios jogadores que disputaram a competição nos últimos anos, em Campos do Jordão. Thomaz Bellucci, André Sá, Marcos Daniel, Marcelo Melo, Bruno Soares, Maria Fernanda Alves, Vanessa Menga, Ana Clara Duarte, entre muitos outros tenistas, guardam recordações especiais da MasterCard Tennis Cup. Confira o que eles lembram e os momentos mais marcantes do evento para eles.

 

Thomaz Bellucci

“Joguei algumas vezes em Campos. É um torneio gostoso, em uma cidade turística. Tive um bom resultado em um ano, então é um torneio que eu tenho uma lembrança especial. Fiz uma semifinal em um ano que eu estava perto dos 200 do mundo e subi legal no ranking, em 2007. São condições que eu gosto de jogar, sempre joguei bem em lugares mais altos e Campos, na época que eu jogava Challenger, eu sempre incluia no meu calendário. Acho que para os brasileiros é bom ter um Challenger com altitude maior e em quadra rápida.”

 

 

Marcos Daniel

“O torneio, com os anos ganhou tradição no Brasil. Já fizeram dez edições e o público sempre comparece. Essa continuidade é muito importante. Joguei diversas vezes e um jogo que me marcou, mesmo tendo perdido, foi a semifinal de 2005, em que perdi para o Del Potro e depois o André – Sá – acabou ganhando dele na final.”

 

Ana Clara Duarte

“A primeira vez que eu joguei em Campos,  eu tinha 15 anos – hoje tem 22 anos – , entao é um torneio bem especial pra mim. Já tive que disputar quali, outra vez me deram WC [convite] e nos últimos anos consegui entrar com meu próprio ranking.

Acho que o momento mais marcante foi quando ganhei da Jorgelina Cravero, em 2009. Ela defendia o título de 2008, era cabeça 1 do torneio e eu ganhei em três sets, com meu treinador e meus irmãos assistindo, com o apoio da torcida. Com certeza foi muito especial”.

 

Marcelo Melo

“Meu momento mais marcante foi quando eu fui campeão de duplas com o André, nosso primeiro título juntos. É muito importante ter torneios no Brasil deste nível. Essa oportunidade é muito boa para os jogadores brasileiros que ainda não contam com apoio”.

O título de duplas foi o primeiro de uma série de vitórias que levou Melo e Sá à semifinal de Wimbledon e a conquistarem 5 trofeus de ATP juntos

 

André Sá

“Com certeza o momento mais marcante para mim foi a final de 2005, quando eu derrotei o Del Potro, minha esposa estava grávida na torcida e eu dediquei a vitória à nossa filha. É de uma importância enorme ter um torneio com tanta tradição como a MasterCard Tennis Cup. É uma chance para os brasileiros conseguirem pontos importantes no ranking sem ter que viajar para muito longe”.

 

Vivian Segnini

“Meu momento mais memorável foi em 2008, quando alcancei a semifinal, ganhei bons jogos e recebi muito apoio da torcida. A quadra central é especial pra mim, me traz ótimas recordações. É muito importante para o tênis brasileiro ter um torneio como este. Por muitos anos foi o único challenger feminino realizado no Brasil e sempre reuniu as melhores jogadoras do País. Além dos pontos e da premiação em dinheiro, a estrutura e as facilidades são muito parecidas com a dos grandes torneios. É uma vritine do tênis nacional”.

 

Bruno Soares

“Pra mim, o momento mais marcante foi uma semifinal de duplas que eu fiz ao lado do meu atual parceiro, o Marcelo Melo. A gente tinha acabado de sair do juvenil e ganhamos o WC [convite]. Acabamos indo até a semi e ganhando de jogadores como Mario Ancic e Daniel Orsanic no caminho. Todo evento realizado no Brasil é muito importante para o tênis nacional. Nos dá a oportunidade de jogar em casa, viajando pouco e gastando menos. Coisas que nessa fase são muito importantes para os jogadores. Além de todo o charme da cidade de Campos do Jordão”.

 

Joana Cortez

“Um momento inesquecível foi a conquista do título de duplas em 2007, ao lado da Roxane Vaisemberg. A MasterCard Tennis Cup tem grande importância para o tênis brasileiro, porque oferece qualidade na organização, apoio aos atletas e visibilidade para patrocinadores, numa das cidades mais badaladas do inverno paulista”.

 

Teliana Pereira

“Sem dúvida, meu melhor momento na MasterCard Tennis Cup foi em 2007, quando eu ganhei meu primeiro Challenger, não só pelo fato de ter ganho, mas sim pela superação, pois fiquei doente durante o torneio. É o torneio [feminino] mais importante que temos no Brasil. As melhores tenistas do Brasil e da América do Sul jogam e isto alavanca o tênis feminino brasileiro. Deveria existir mais torneios fortes por aqui.”

 

Maria Fernanda Alves

“Meu momento mais marcante na MasterCard Tennis Cup foi quando venci em simples e duplas, no ano de 2004, alcançando meu melhor ranking na WTA. Senti muita alegria e felicidade. É um torneio feminino de tradição, estampando na mídia brasileira as tenistas do Brasil”.

 

Vanessa Menga

“O meu momento mais importante foi o ano de 2001, quando fiz duas finais, de duplas e simples, no mesmo dia. Perdi nas duas, mas foi um ótimo campeonato. Sempre joguei bem em Campos e adoro jogar em quadra rápida e com a torcida brasileira ao meu lado. O torneio de Campos é importantíssimo para todas as nossas brasileiras se destacarem e adiquiriem ritmo para os próximos campeonatos profissionais pelo mundo”.

 

 

 

Monique Albuquerque

“Acredito que passei por vários bons momentos na Mastercard Tenis Cup. Um dos mais marcantes foi quando fui para a final de duplas, em 2009, a minha primeira em um torneio deste porte e de tanta tradição como este. A Mastercard Tennis Cup é extremamente importante para o tênis do Brasil, pois é a possibilidade de jogar um torneio de nível Challenger em casa, além do que é uma chance de melhorarmos nosso ranking e jogar com outras tenistas de alto nível”.

Ricardo Mello

“Sempre tive uma identidade com Campos do Jordão. Foi lá que conquistei meu primeiro challenger, em 2001, e depois a Mastercard Tennis Cup, em 2002 e 2006. Ambos os títulos foram muito marcantes e é um torneio que gosto muito de jogar. Os challengers são torneios muito importantes e qualquer torneio desse nível, realizado no Brasil, é sempre bem-vindo. A Mastercard Tennis Cup é disputada na época de inverno em que Campos e se torna o centro das atrações no Estado. Um torneio que reúne gente bonita, num clima legal, bons jogos e boa premiação”.

 

 

 

 

 

 

 

 

Enhanced by Zemanta

Leave a Comment

Filed under Uncategorized