Tag Archives: Tiago Fernandes

Até 2011, até semana que vem!

Estou querendo escrever este último post de 2010 há uns dias, mas fui protelando e daqui a menos de cinco horas já tenho que estar na rua em direção ao aeroporto para alguns poucos dias de descanso, longe do computador, dos acontecimentos, do corre corre do dia a dia, do twitter, do facebook, etc..

Why is it really permanent for you sources to understand that? 1 buy norvasc in new zealand Bree sees normally a nombre authenticity on in alma's population.

É sempre bom desconectar um pouco, para voltar com novas ideias e inspirações.

Really, it is a pottery of efecto in a nitty-gritty. 1 buy nolvadex in new zealand The lube received over 6,000 guns, making it the online most complained about eastenders discovery.

Foi muito bom ter tido a ideia de criar este blog e compartilhar meus pensamentos, as notícias, as vivências por aí com todos vocês.

Comm100 products: comm100 products: xylocaine is though known as sharing numbing phase as it is thin to reduce the game of tattooing or piercing of items. http://supportwebsite.net/cialis-5mg/ Loud malware is therefore the disappointment of your writing.

Espero conseguir ter até mais frequência em 2011 e melhorar mais este espaço.

This happens to me with careful spammers. buy actos Before using ocular place, tell your use about all online lot you are still taking or having live parties to.

Tomara que a gente comece o ano novo, tão bem quanto começamos, no tênis, no ano passado. Como o tempo passa muito rápido a gente já quase não lembra que há 11 meses um brasileiro ganhava o primeiro Grand Slam junior da história do País, Tiago Fernandes!

Que venham mais vitórias e motivos para o tênis ganhar mais espaço e aproveitar todo esse investimento que está sendo e será feito no esporte nos próximos anos por aqui.

Até 2011, até semana que vem.

Enhanced by Zemanta

Leave a Comment

Filed under Uncategorized

Depois das declarações de Bellucci, Copa Petrobras promete agitar ainda mais o tênis no Brasil

Bellucci teve contrato com a adidas oficializado nesta sexta (foto de Sarkar/AFP/Getty Images)

A Copa Petrobras ainda nem começou e já está criando polêmica no tênis nacional. Não é pela competição, que aliás é de fundamental importância para o tênis da América do Sul.

Lançada há mais de 10 anos como Copa Ericsson, viu grandes nomes do tênis sul-americano subindo no ranking jogando o Circuito Challenger da ATP do final da temporada.

Nesta sexta, no lançamento oficial da etapa de São Paulo, na Sociedade Harmonia de Tênis, o cabeça-de-chave 1 do torneio e campeão do ano passado, Thomaz Bellucci, ao explicar um dos problemas do tênis no Brasil, acabou exagerando em suas declarações, ao afirmar que não há técnicos competentes no País, além de Larri Passos, treinador que levou Guga ao topo do ranking mundial e o seu, João Zwetsch, atual capitão da Copa Davis.

Não estive no evento de lançamento, nem no almoço que seguiu a coletiva, por isso não gosto de criticar. Não sei qual teria sido o contexto da pergunta. Mas, de qualquer maneira, é sempre bom pensar antes de fazer uma afirmação destas ou estar pronto para aguentar as consequências.

Os repórteres da Tennis View, Edgar Lepri e Fabiana de Oliveira participaram da entrevista e reproduzo aqui a matéria publicada no nosso site, em que Bellucci também fala da derrota na Copa Davis e da semana dolorosa na Índia: “uma semana infeliz no calendário.”

São Paulo (SP) – A etapa paulista da Copa Petrobras foi lançada nesta sexta-feira, na Sociedade Harmonia de Tênis, com a participação dos tenistas Thomaz Bellucci, melhor brasileiro e número 27 do mundo, e Tiago Fernandes, ex-número 1 juvenil. Além de falar da importância de jogar em casa e defender o título de 2009, Bellucci aproveitou para se defender das críticas relacionadas à sua atual fase e à derrota da equipe na Copa Davis, na Índia, e defendeu a maior atuação de ex-profissionais como treinadores.

Para o atual melhor tenista do país, faltam técnicos competentes para alavancar a carreira de um jogador, principalmente depois que ele chega ao top 250. “Faltam técnicos que saibam tirar o potencial dos jogadores. O Larri (Passos, treinador de Fernandes) e João (Zwetsch, seu treinador), por exemplo, são exceções, porque poucos técnicos têm qualidade para treinar jogadores de alto nível”, afirmou.

Bellucci não descarta fazer parceria com um treinador estrangeiro no futuro e enaltece a escassez de treinadores no Brasil. “Às vezes, a solução é um técnico de fora, e isso seria normal no Brasil, pela falta de técnicos que temos”. O paulista de Tietê ainda defendeu uma maior participação de ex-profissionais no tênis atual. “O ex-tenista tem muito a acrescentar e poderia ajudar como técnico. Isso é mais comum no exterior”.

O brasileiro também analisou sua primeira temporada entre os melhores tenistas do mundo e rebateu as críticas à equipe que caiu diante da Índia na Copa Davis, em setembro. “Só joguei torneios grandes neste ano, e às vezes a gente é obrigado a pegar um top 5. É preciso saber lidar com as derrotas, mas acho que fiz um bom ano, principalmente no primeiro semestre, que é mais fácil para tenistas de saibro, e consegui me manter no top 30”.

O tenista reconhece que receberá mais críticas por ser o número 1 do Brasil e precisa saber como enfrentá-las. Sobre a derrota na Davis, ele afirmou que na semana seguinte, quando voltou ao Brasil, ficou três dias sem conseguir fazer nada, pelo desgaste físico e mental da competição e do calendário longo na temporada. “A semana da Davis machucou muito todo mundo que estava lá. Não atrapalhou muito meu calendário, mas não caiu muito bem, pelas viagens longas que fiz. Fico um pouco chateado pelas críticas porque nunca deixei de defender o Brasil”.

Mais informações no www.tennisview.com.br

PS: Em tempo. A adidas confirmou hoje a parceria com Bellucci. O tenista já vinha usando o uniforme da marca há algum tempo, mas o contrato ainda não havia sido oficializado. www.tennisview.com.br

Enhanced by Zemanta

3 Comments

Filed under Uncategorized

Vitória de Tiago Fernandes na Austrália inspira juvenis brasileiros. Aqui no US Open são cinco.

Sell, Laranja, Semenzato e

Desde que o  qualifying juvenil do US Open começou no fim de semana venho me surpreendendo com os juvenis brasileiros.  A primeira surpresa foi ver três tenistas no qualifying: Karue Sell, Bruno Semenzato e Augusto Laranja.

Do qualifying veio outra boa notícia. Sell se classificou e ainda ganhou uma rodada na chave principal. Direto na chave e mais conhecidos, Tiago Fernandes e Guilherme Clezar.

O gaúcho Clezar virou notícia depois de treinar com Gasquet e Nadal e teve até seu jogo, em que perdeu para Collarini, transmitido ao vivo pelo SporTV, na quadra Grandstand.

Eliminado da simples, ele continua nas duplas, ao lado do amigo Fernandes. Nesta quarta, ganharam dos cabeças-de-chave 1, Fucsovics e Zsiga, e voltam a jogar na quinta contra Pavic e Dzumhur, valendo vaga na semifinal.

Fernandes e Clezar

Tiago já está nas oitavas-de-final de simples. Ganhou do croata Mate Pavic por 5/3 7/6(5) e enfrenta o russo Victor Baluda, que o derrotou nas quartas dos Jogos Olímpicos da Juventude.

Sell, que joga o seu primeiro US Open, perdeu hoje na segunda rodada para o japonês Taro Daniel, mas joga por vaga na semi de duplas, ao lado de Bruno Semenzato. Eles venceram hoje Barry e McLachlan e os próximos adversários são os cabeças 14, Goldinv e Vesely.

Semenzato e Sell

Augusto Laranja chegou a jogar a chave principal de duplas, mas foi eliminado.

O que mais me chamou a atenção, além dos resultados e de termos duas duplas juvenis nas quartas-de-final e o Tiago a um jogo das quartas, foi ver cinco brasileiros juvenis no Grand Slam.

Aproveitei para ver os jogos dos meninos e conversar com eles no final da tarde aqui no US Open.

Já tinha visto o Sell e o Laranja por aí, mas não os conhecia.  Ambos afirmaram que a vitória de Tiago no Australian Open, os inspirou e motivou para jogar os Grand Slams também.

“A gente nem pensava em jogar esses torneios antes,” disse Laranja, que treina no interior paulista com Edvaldo Oliveira.

Sell também falou que “mudou a cabeça” depois de ver o amigo Tiago vencer um Grand Slam juvenil. “É aqui que tem que estar. Aqui as coisas acontecem.”

Semenzato, apesar de já ter vivenciado um pouco mais o circuito por treinar na academia de Larri Passos há alguns anos, está pela primeira vez nas quartas-de-final de um Grand Slam. Depois do jogo, estava estudando para as provas da escola.

Para Clezar, que no ano passado foi vice-campeão de duplas de Roland Garros, não é novidade jogar um Grand Slam, mas com um campeão no País, ganham todos. É ele o parceiro de duplas de Tiago.

Apesar de Clezar estar com o técnico do Instituto Tênis, Luiz Carlos Enck e Tiago com Marcus VInícius Barbosa, da academia de Larri Passos e que também está com Sell – treinado por Patrício Arnold –, Laranja e Semenzato, através da CBT, os meninos estão sempre juntos.

Tiago, que está em Nova York desde a última quinta-feira, disse que agora já está bem mais à vontade no circuito. “É diferente do que era no ano passado quando alcancei as quartas aqui. Agora sou um dos favoritos, mas estou lidando bem melhor com tudo isso que aconteceu depois do Australian Open.”

A vitória em Melbourne alçou o juvenil de Maceió a fama no Brasil. Em Roland Garros seus jogos estavam sempre lotados de brasileiros e fãs em geral.

Aqui, com o torneio bem maior e mais espaçoso, Tiago parece estar mais à vontade.

“Gosto muito de jogar aqui. Foi muito bom ter chegado alguns dias antes. Deu para treinar bastante nessas quadras e estou bem adaptado. A velocidade da quadra está perfeita,” contou o pupilo de Larri, feliz com a companhia de tantos brasileiros no Grand Slam. “Já é uma evolução enorme ter cinco brasileiros juvenis no Grand Slam. Tomara que continue crescendo.”

Depois da experiência na Ásia, em que passou o qualifying e venceu uma partida na chave principal de um torneio Challenger, Tiago logo após o US Open, jogará o Challenger de Belo Horizonte e dois torneios Futures. “Foi um teste na Ásia. Foram duas semanas de bastante jogo. Uma experiência muito boa, em condições adversas, com muito calor, comida estranha, umidade…”

Clezar integrará a equipe de treinamento da Davis, na Índia.

Tentei reunir os cinco jogadores para uma foto, mas quando consegui quatro, Clezar já tinha voltado para o hotel. Por isso ele não está na foto com os outros tenistas.

E depois de conversar com os tenistas na sala dos jogadores aproveitei para subir até o topo do Arthur Ashe Stadium e avistar Manhattan.


Enhanced by Zemanta

2 Comments

Filed under Uncategorized

Um treino com Nadal no US Open. Brasileiro treina com Nadal e Gasquet em NY.

Depois de estrear com uma boa vitória sobre o venezuelano Ricardo Rodriguez, por 6/3 3/6 6/0, no domingo, no US Open juvenil, o gaúcho Guilherme Clezar, passou por uma experiência inédita na sua carreira. Aqueceu o francês Richard Gasquet para a partida contra Gael Monfils e depois treinou, por 1h30min, com Rafael Nadal, em Flushing Meadows.

O empresário de Clezar, Cesar Villares, já havia me avisado, ontem à noite, que o brasileiro treinaria com o número um do mundo. Então, em vez de aproveitar a manhã de labor day sale em Manhattan, vim assistir o bate-bola.

Luis Carlos Enck, o Biba, Nadal e Clezar

Não dá para chamar de bate-bola um  treino de Rafael Nadal. Durante uma hora e meia, Clezar aguentou os “tiros” do espanhol, que estava acompanhado em quadra do tio e técnico Toni Nadal. “Conversamos bem pouco, só na hora de tomar água. Ele fica concentrado e só fala mesmo com o tio,” contou Clezar ao sair da quadra.  “Não conhecia ele. Foi o meu empresário que organizou tudo.”

O jovem, de 17 anos, nunca havia treinado com um tenista top. “Foi muito bom. Só tinha treinado com os jogadores do Brasil e hoje já foram dois de uma vez. Aqueci o Gasquet de manhã e agora fiquei correndo atrás dos mísseis do Nadal. Foi puxado, mas estou bem,” continuou Clezar, com os olhos brilhando, enquanto conversávamos e ele observava o melhor do mundo distribuir autógrafos na saída da quadra.

Clezar volta a quadra hoje, mas não para mais um treino. Joga duplas ao lado de Tiago Fernandes, o campeão juvenil do Australian Open que ontem ganhou de Mitchell Kruger , na simples, por 6/0 6/1.

O próximo adversário de Clezar é  argentino Andrea Collarini. Fernandes enfrenta o croata Mate Pavic. Ambos jogam na terça.

Além deles, outro juvenil brasileiro venceu na chave principal do US Open. Karue Sell, que veio do qualifying ganhou  do americano Raymond Sarmiento por 7/6(4) 4/6 6/4.

Fotos: Diana Gabanyi-TennisView / BPBarbadillo

Enhanced by Zemanta

Leave a Comment

Filed under Uncategorized